quinta-feira, janeiro 17, 2013

estrelas








quando eu era jovem gostava das estrelas
media o céu escuro, palmeava
de um mapinha azul conhecia as constelações
as estrelas, as coisas mais belas

ah como era tudo longe, eu era sempre um apaixonado,
e enquanto meus amores fugiam de mim,
mais as estrelas se aproximavam.

estou ficando velho, dei para olhá-las de novo
palmeio o céu, me conduzo por elas,
o mesmo mapinha azul, me lembra dos caminhos
feitos, dos atalhos trilhados, hoje tudo é mais belo
tudo é mais denso e profundo

o ar já me falta, o corpo se esconde bem na escuridão
e as estrelas ainda estão lá, me esperaram esta eternidade
toda.
hoje não tenho mais paixão, não tenho mais vontades,
não tenho mais querer.
os amores não existem, as estrelas insistem...