domingo, dezembro 25, 2011

sonho

 momentos de desejos












Que esta odiável noite se torne dia
e que o sabiá me acorde o mais cedo
possível.
Assim poderei ver o ronco dos bárbaros,
contemplar o fel verde escarrado
por suas laringes.
Sentir a podridão do álcool que
empesteia a limpa manhã,
dos melros, lá,
dos bem-te-vis, daqui e
dos sabiás de todos os lugares.