terça-feira, agosto 30, 2011

amorfia do tempo

do tempo amórfico





quanto tempo espera inerte
o pobre diário ao lado do punhal
o diário velho amarelado
se assoprado voa poeira
voa tempo voa o segredo
voam os desejos

o punhal ao lado espera junto aos
óculos de tartaruga
espera em seu brilho de ponta
fria, a hora, o lugar
espera o caminho e o dorso farto
espera que a carne macia
o receba

se limpado a prova persiste
se lavado a dor aumenta se
sumido a lembrança aperta

os óculos e suas lentes
servem pra tentar ver, crer
tomar o significado como termômetro
eis que derrama o mercúrio
se solta pelo chão rolando
qual um chumbo derretido
levando segredo/desejo
prova/lembrança
lente/visão