domingo, setembro 04, 2011

poema moderno








enquanto o computador digitaliza minha arte
e me interage no mundo e e na teia da aranha
cibernética
a máquina de lavar louças me livra do açoite
e em seu enxaguar de ondas e seus sons
me embala e nina
me torno cidadão do mundo

Um comentário:

Madu disse...

A tecnologia favorece a poesia.