domingo, outubro 26, 2008

episódios











Tenho certeza que o que me acordou foi o cheiro da Dama da Noite, frenético. O cavalo enjericado escoiceava as moscas ao meu lado. A lua no céu era uma unha fina.

Não reconheci logo aquele lugar, aliás, não reconheci aquilo ali. Primeiro eu achava me encontrar em outra época, parecia que, no que minha cabeça rodava, passava o tempo e na medida que ia esporeando o pangaré tomava distâncias das coisa que minha vida até ali tinha me provido.
Não tenho memória limpa daqueles últimos dias ou meses ou semanas, não me lembro de nada com exatidão. E para dizer a verdade eu não sabia se era hoje, hoje, hoje ontem ou hoje ante-ontem, se era aqui aqui mesmo, aqui, ali na esquina ou se esse aqui era a dois mil e quinhentos quilômetros de distância.

Nenhum comentário: