terça-feira, março 28, 2006

dissonância

escrito de tempo outro




quando chegar quero estar perto do sol
mas debaixo de uma árvore
quero pensar, te pensar
merecer incandescente
festejar solenemente
te alojar na frenética poesia do
dia a dia
na alça de um coração
te deito
se cubro de beijos?

mas no encanto da saudade
o sol te levou

domingo, março 26, 2006

nesse citar de palavras

escrito em outro tempo





de estar vivo
necessito-lhe somente
tempo de minha sobrevivência,
do tempo de meus olhos
de tempo de minha vida

não diga nada, senão
da boa fruta extraída do tempo
diga nada, senão,
da boa comida tirada da flor
pelo momento que olha e cala
o disso e o isso e o inverso
inunda-me com carinho
com o conforto da ternura
sim,
terei em mim
mais do que tudo
mais do que todo

deitei sobre o tempo em trilho
movi-me desprendido
saí, ao infinito

e por necessitar fiquei
quem sabe onde,
quando
necessito do gosto existente da boca
do quanto mais quero
de acima de todo o tudo
e ainda que sempre
necessitar