sexta-feira, novembro 10, 2006

kalundu kakulê

histórias de meu psiquiatra preferido




- buceta, buceta, buceta, esta casa é uma buceta, não aguento mais...
- peixe, calma, lembre-se, você é um psiquiatra...
- buceta, eu não sou porra nenhuma, esta casa do caralho
- calma, não adianta...
- Jorge, tem um martelo aí?
- não, Doutor.
- buceta, buceta...
O médico olha para o ambiente a procura de um objeto pesado
de repente vê a válvula de ferro da cuba encima da pia de mármore travertino
com gosto pega-a e bate freneticamente na cuba de louça...

os estilhaços ficaram para Jorge limpar.

Nenhum comentário: