quinta-feira, agosto 04, 2005

Uma Flor vermelha, linda-se
e exubera-se - perfeita -
Simetríssima
Frágil, a flor! Que carrega em si minutos
no muito horas, no máximo
dias
Se vento forte não houver.
São as belezas!

segunda-feira, agosto 01, 2005

RESSACA


Não ouso
te pensar!
E o que dirá
te desenhar
na poesia
do dia-a-dia?
Recuso-me a
confabular
e a querer
embrenhar-me
na sanidade
concreta do teu corpo
e na abstração
discreta da tua alma.
Firo-me quando
à toa me refiro a ti
e ferido fico
quando não te referes
ou nem pensas
e nem mesmo olhas
para a estrela
bela
que de presente
te dera