domingo, agosto 07, 2005

Uma casa

Faço minha casa eu mesmo
saiu do papel, ou melhor do computador
Saiu certinha e foi se transformando
e virou minha
Faço não, organizo a casa
organizo o material que vou comprando
areia e brita e cimento e ferro de
bitolas várias, milímetros outros
tijolos de seis furos que vão se aprumando
paredes que vão se erguendo
tem laje que foi se formando
que já está estirada, firmamento do meu castelo
Faço minha casa
que saiu do meu coração, da minha idéia
da minha vontade, com colher de pedreiro,
prumo e nível de mão
E tem terra, e tem pedra e tem água
e a chuva que cai,
e o frio que dói,
e sol que arde
Faço minha casa para servir de pátria, ou mátria
para os meus

2 comentários:

Ursel disse...

Um beijo bem grande !
Adoro essa casa, Sua

A metanóica disse...

Gostei muito do post e me identifico com o tema. Atrevo-me a deixar um link para um post meu antigo, escrito em março:

http://digerindo.blogspot.com/2005/03/na-morada-dos-entulhos.html#comments

PS - Estou adorando vasculhar seu cantinho. Há tempos não lia blogs, está me fazendo bem.

Beijos!